.Música

.A visitar

.Arquivos

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.mais sobre mim

Sábado, 1 de Abril de 2006

Os Sábados

são supostamente para se estar em casa com a família. Mas com as vidas a ficarem cada vez mais rápidas e as pessoas a trabalharem cada vez mais horas. Torna-se quase impossível as pessoas terem vida própria antes das oito da noite e por isso as lojas começaram a abrir as suas portas até mais tarde e também aos fins-de-semana para que possamos gastar em dois dias aquilo que ganhamos em cinco e é por causa desse consumismo que eu tenho de estar aqui a trabalhar para as pessoas que acham que os sábados é um óptimo dia para comprarem livros.
Um dia destes ainda fico a odiar livros e pessoas e vou viver para o interior de Portugal com a minha cadela.

E como hoje estou azeda que nem um caroço de limão apanhado verde ainda quero dizer que detesto os clientes que entram aqui a achar que estão em casa e que por serem clientes têm direito a tratar as pessoas como querem e lhe apetecem. Pois, era bom que se recordassem que eu, ou o sítio onde trabalhamos prestamos um serviço, serviço esse que é procurado por quem aqui entra e como tal há que respeitar as pessoas que aqui estão porque estão apenas para o ajudar a ter um melhor serviço e não para o servir.

Eu trabalho para a minha identidade patronal e não para o cliente que quer um livro amarelo mais ou menos deste tamanho que viu passar na televisão mas do qual não sabe o nome nem o autor nem editora nem coisa nenhuma. É normal que eu não saiba a que livro se refere e mais normal é ainda que o computador não consiga localizá-lo por isso, a esses clientes eu tenho vontadinha de mandar assim para um sítio mal cheiroso.

Claro que nem tudo são espinhos e há realmente pessoas que entram aqui, que falam para nós como pessoas e que entendem que nem se conseguem localizar os livros que procuram.

E ainda há os que não sabem muito bem o que procuram mas que tentam juntamente connosco encontrar uma solução, tentado-se lembrar de pormenores que possam levar à identificação do livro como por exemplo aconteceu com o senhor que veio ontem logo após a minha hora de almoço. Ele vinha procurar um livro que tinha visto na montra à mais ou menos dois meses e não sabia o autor nem editora. Só sabia que tinha uma frase qualquer coisa solução final. Ora, esse senhor teve sorte, eu lembrava-me de um livro que podia ter esse título livro esse que estava a meio de uma pilha de livros acabadinhos de chegar chamava-se "Auschwitz - Os Nazis e a Solução Final" mas teve sorte. Porque o computador jamais lá teria chegado porque ele lembrava-se do sub-título. Enfim...

Só queria mesmo mandar para o tal sítio mal cheiroso as pessoas que não têm qualquer tipo de respeito pelo trabalho dos outros e é uma pena verificar que muitos deles são doctores e têm motorista mas que são uns falhados e a maioria deles só subiram na vida por métodos pouco ortodoxos.

Agora vou beber um copinho de água com açúcar para ver se isto me passa....
publicado por alguém às 11:03
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De algum a 5 de Abril de 2006 às 14:07
Chocolover . claro que sim :) oh pra mim tão sorridente.

Mim ser peixe e acho que estes seres são demasiado aéreos para se chatearem por muito tempo :D
De Chocolover a 4 de Abril de 2006 às 17:10
E então, já passou?...

Comentar post